LINHA DO TEMPO

O Festival soma hoje em seu acervo mais de 1.600 filmes de diversas cidades e estados do Brasil e de países de língua portuguesa. Em 2011, o projeto se tornou internacional para países de língua portuguesa. No ano de 2104, o Festival foi realizado em 3 categorias oficiais, como: Documentário, Ficção e Animação, além de oferecer um prêmio especial concedido por um dos patrocinadores, a Certisign, sobre identidade digital, com o tema “Sua Identidade na Rede”. Na sétima edição o Festival bateu um recorde de inscrições, tendo recebido mais de 300 filmes de todo o Brasil, o que comprova a importância e relevância da realização do Festival que vem despertando o interesse dos realizadores e do público, gerando conteúdos para mídias digitais.

 

 

 

Linha do Tempo

EDIÇÃO 2008

 

O FESTIVAL CELUCINE É CRIADO COMO PARTE INTEGRANTE DA AÇÃO E DIVULGAÇÃO DA OI/OI FUTURO NO FESTIVAL DE BRASÍLIA, EM PARCERIA COM A ASSOCIAÇÃO REVISTA DO CINEMA BRASILEIRO QUE FOI RESPONSÁVEL PELO DESENVOLVIMENTO DO FORMATO DO FESTIVAL, LEVANDO ADIANTE O CELUCINE COMO PROPONENTE RESPONSÁVEL PELA SUA REALIZAÇÃO.

 

EDIÇÃO 2009

 

NA EDIÇÃO DE 2009 O FESTIVAL FOI REALIZADO EM QUATRO  ETAPAS TEMÁTICAS: “SONHANDO ACORDADO”, “DE ARREPIAR”, “DA JANELA” E “DE PONTA A CABEÇA”. NESSA EDIÇÃO O FESTIVAL VISLUMBROU A DISCUSSÃO DAS NOVAS MÍDIAS INCIPIENTES AINDA, RESULTANDO NA REALIZAÇÃO DE QUATRO WORKSHOPS E NA DIVULGAÇÃO DO CELUCINE NO SHORT FILM CORNER / FESTIVAL DE CANNES. O JURI FIXO DESSA EDIÇÃO FOI COMPOSTO PELO CINEASTA E ROTEIRISTA SÉRGIO BLOCH, PELO REPRESENTANTE DO CANAL BRASIL, ALEXANDRE CUNHA E PELO DIRETOR-PRESIDENTE DA RIOFILME SÉRGIO SÁ LEITÃO. EM CADA ETAPA AINDA TIVEMOS O REFORÇO DA JORNALISTA E PRODUTORA CULTURAL SILVANA MARPOARA NA EATAPA 01, DO CINEASTA MARCOS DIDONET NA ETAPA 02, DA PROFESSORA DE CINEMA IVANA BENTES NA ETAPA 03 E DO CINEASTA SAMIR ABUJANRRA NA ETAPA 04.

 

EDIÇÃO 2010

 

A TERCEIRA EDIÇÃO DO FESTIVAL CELUCINE FOI DIVIDIDA EM DUAS ETAPAS TEMÁTICAS: “O MUNDO É UMA BOLA” E “LENDAS URBANAS”. FORAM REALIZADOS QUATRO WORKSHOPS SOBRE REALIZAÇÃO AUDIOVISUAL EM ESCOLAS MUNICIPAIS AO LONGO DO PERÍODO DE REALIZAÇÃO DO FESTIVAL.  NESSE ANO NOVOS PARCEIROS TAMBÉM CHEGARAM, COMO SENAC, PORTA CURTAS, CINEMA NOSSO, FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO (FBCU) E O SITE BRAZUCAH, PARA CITAR ALGUNS. O JÚRI FOI COMPOSTO PELOS ATORES JOSÉ WILKER E SELTON MELO, PELA ESCRITORA E COLUNISTA CÓRA RONAI E PELO CINEASTA ESMIR FILHO.

 

EDIÇÃO 2011

 

O FESTIVAL CELUCINE REALIZA A QUARTA EDIÇÃO ABRINDO AS PORTAS PARA INSCRIÇÕES DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. NESTE MESMO ANO FOI CRIADA UMA MOSTRA ESPECIAL COM A PARTICIPAÇÃO DE REALIZADORES DE PRESTÍGIO E RENOME DO AUDIOVISUAL QUE FORAM CONVIDADOS A PRODUZIR MICROMETRAGENS. ENTRE OS NOMES CONVIDADOS, NO BRASIL ESTÃO OS CINEASTAS BETO BRANT, JORGE FURTADO, HÉCTOR BABENCO E O ATOR E TAMBÉM REALIZADOR, LÁZARO RAMOS.  DE PORTUGAL TIVEMOS O CINEASTA DAVID REBORDÃO E DE ANGOLA O CINEASTA MÁRIO BASTOS. FORAM REALIZADAS AINDA SEIS PALESTRAS EM ESCOLAS MUNICIPAIS. NA FORMAÇÃO DO JÚRI, TIVEMOS NOVAMENTE O ATOR JOSÉ WILKER E A ESCRITORA E COLUNISTA CÓRA RONAI COM OS TEMAS “POR DENTRO” E “DITADO POPULAR”.

 

EDIÇÃO 2012

 

NESSA EDIÇÃO, O FESTIVAL DEIXOU DE SER TEMÁTICO E PASSOU A PREMIAR OS FILMES EM QUATRO CATEGORIAS COM TEMA LIVRE, DOCUMENTÁRIO, FICÇÃO, ANIMAÇÃO E MÚSICA. ESTE NOVO FORMATO DEU UM CARÁTER MAIS INDEPENDENTE AO CELUCINE, QUE PASSOU A TER CALENDÁRIO PRÓPRIO DESVINCULADO DOS OUTROS FESTIVAIS DE CINEMA. OUTRA NOVIDADE NA PROGRAMAÇÃO DE 2012 FOI A CRIAÇÃO DO FÓRUM CELUCINE TRANSMÍDIA, UMA PLATAFORMA DE DISCUSSÃO SOBRE OS CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS PARA MÚLTIPLOS MEIOS. A PROGRAMAÇÃO CONTOU COM PALESTRAS E OFICINAS DE PRODUÇÃO DE FILMES MINISTRADAS POR PROFISSIONAIS DA ÁREA DE STORYTELLING E TRANSMÍDIA, COMO VICTOR LOPES, CARLA ESMERALDA, ALEKSEI WROBEL ABIB, BÁRBARA MOTA E BATMAN ZAVAREZE. O JÚRI DO FESTIVAL FOI COMPOSTO PELA ATRIZ DIRA PAES, PELO MÚSICO PAULINHO MOSKA E PELO CRÍTICO DE CINEMA E DJ MARCELO JANOT.

FILMES VENCEDORES

Ficção – 180 Segundos, de Julia Cartier e Rodrigo Ribeiro, Rio de Janeiro

Documentário – Velasco, de Rodrigo Cardoso e Rafael Vilela, Belo Horizonte

Música – Primeiro de Abril, de Andy Moura, São Paulo

Animação – O Homem Que Cantou as Aves do Sertão, de Patrícia Moreira, Bahia

Prêmio Especial RioFilme – Aposta do Flaflu, de Marcelo Menezes, Rio de Janeiro

A menção honrosa foi para o documentário Corta-se Cabelo, de Renato Ogata, Curitiba

 

EDIÇÃO 2014

 

NESSA EDIÇÃO O FESTIVAL CRUZOU A PONTE AÉREA E FOI PARA SÃO PAULO. COM O PATROCÍNIO MÁSTER DO BANCO ITAÚ, PATROCÍNIO DA CERTISIGN E RIOFILME. REALIZAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO REVISTA DO CINEMA BRASILEIRO, CORREALIZAÇÃO DO ITAÚ CULTURAL E APOIO DO MINISTÉRIO DA CULTURA/LEI ROANET, CANAL BRASIL, OI FUTURO E DA SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA DE SÃO PAULO. FORAM MINISTRADAS DOIS DIAS DE PALESTRAS GRATUITAS NO ITAÚ CULTURAL SOBRE A DIFUSÃO DO AUDIOVISUAL NAS MÍDIAS SOCIAIS E PLATAFORMAS DIGITAIS. OUTRA GRANDE MUDANÇA AGREGADA NESSA EDIÇÃO FOI A REALIZAÇÃO DO CELUCINE ATRAVÉS DA FANPAGE DO FESTIVAL NO FACEBOOK E NÃO MAIS NO SITE DO FESTIVAL. AS INSCRIÇÕES FORAM ABERTAS NO DIA 01 DE SETEMBRO, NO ENDEREÇO  WWW.FACEBOOK.COM/FESTIVAL.CELUCINE. O JÚRI FOI COMPOSTO PELA CINEASTA ANNA MUYLAERT, PELO ATOR JULIO ANDRADE E PELO ANIMADOR ALE MACHADDO. 

FILMES PREMIADOS

Categorias Oficiais:

– Melhor Animação: “Restos de Coisas” (MG), de Marco Nick;

– Melhor Documentário: “TUM TUM – O Som do Batuque” (SP), de Bruno Martins;

– Melhor Ficção: “Maquiagem” (RJ), de Evandro Manchini.

 

Prêmio Certisign (Tema: Sua Identidade na Rede):

– Melhor Animação: “Sua Identidade na Rede” (RS), de Rodrigo Bittencourt;

– Melhor Documentário: “A História de Priscila e Bruno” (SP/BA), de Beto Zamberlan;

– Melhor Ficção: “O.ti.mi.za.do” (GO), de Cristiano Sousa.

Prêmio Especial RioFilme:

– “Encontros da Cidade” (RJ), de Fernando Bittencourt e Guilherme Tostes.

Menção Honrosa – Aquisição Canal Brasil:

– “Brimo” (SP), de Vitor Mattos.

 

 


EDIÇÃO 2016

NESSA EDIÇÃO O FESTIVAL CRUZOU A PONTE AÉREA E FOI PARA SÃO PAULO. COM O PATROCÍNIO MÁSTER DO BANCO ITAÚ, PATROCÍNIO DA CERTISIGN E RIOFILME. REALIZAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO REVISTA DO CINEMA BRASILEIRO, CORREALIZAÇÃO DO ITAÚ CULTURAL E APOIO DO MINISTÉRIO DA CULTURA/LEI ROANET, CANAL BRASIL, OI FUTURO E DA SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA DE SÃO PAULO. FORAM MINISTRADAS DOIS DIAS DE PALESTRAS GRATUITAS NO ITAÚ CULTURAL SOBRE A DIFUSÃO DO AUDIOVISUAL NAS MÍDIAS SOCIAIS E PLATAFORMAS DIGITAIS. OUTRA GRANDE MUDANÇA AGREGADA NESSA EDIÇÃO FOI A REALIZAÇÃO DO CELUCINE ATRAVÉS DA FANPAGE DO FESTIVAL NO FACEBOOK E NÃO MAIS NO SITE DO FESTIVAL. AS INSCRIÇÕES FORAM ABERTAS NO DIA 01 DE SETEMBRO, NO ENDEREÇO  WWW.FACEBOOK.COM/FESTIVAL.CELUCINE. O JÚRI FOI COMPOSTO PELA CINEASTA ANNA MUYLAERT, PELO ATOR JULIO ANDRADE E PELO ANIMADOR ALE MACHADDO.

FILMES PREMIADOS:

 

- FICÇÃO:

#bolaprafrente, de Evandro Manchini e Paulo Emanuel – RJ

- DOCUMENTÁRIO:

Aquele 31 de março, de Daniel Mata Roque – RJ

- ANIMAÇÃO:

Katabasis, de Francisco Catão - DF

- PREMIO CERTISIGN (TEMA “20 ANOS ATRÁS”)

#1º LUGAR - Quase Ontem, de João Niella – RJ

#2º LUGAR - As distâncias, de Pedro Eiras – RJ

#3º LUGAR - Impermanência, de Marcela Siqueira – RJ

- PRÊMIO CANAL BRASIL

Lata, de Leandro Martins – Lisboa (Portugal)

- PRÊMIO RIOFILME

A Vida Maravilhosa de Elke, de Filipe Quadros, Solange Maia e Christian Caselli – RJ

EDIÇÃO 2019

 

 

 

 

 

 

 

O 8ª Festival Celucine de Micrometragens, resultado do convênio entre a Fundação de Arte de Niterói e o Ministério da Cidadania, chegou à cidade fluminense, consolidando sua posição como um dos principais polos de divulgação da produção digital nacional em formatos alternativos. Entre as novidades desta edição a Categoria Teen, para realizadores entre 13 e 16 anos.

Melhor filme com tema: Niterói Cidade do Audiovisual

• O Grande Órgão, de Marina Ziehe

 

Melhor Filme Teen

• Caminhando e Cantando, Júlia Maria

 

Prêmio Canal Brasil

• O Pinguim, de Vitor Neves Martins, RJ

 

Melhor Animação

A Fantástica Vida Breve do Sr. Massinha, de Diego Goes, SP

 

Melhor Documentário

• Sheila Lucas: A Alma Brasileira, Ricardo Lyra JR., RJ

 

Melhor Ficção

• O Pinguim, de Vitor Neves Martins, RJ

EDIÇÃO CELUCINE EM CASA 2020

 

Em 2020 o celucine realizou sua 9ª edição oficial, celucine em casa,  para colaborar com o momento atual em que precisamos seguir as recomendações da organização mundial de saúde de nos mantermos em isolamento social, resolveu criar essa edição especial estimulando a produção de vídeos em casa, com o celular.

O  festival recebeu filmes com duração entre 30 segundos e 3 minutos, mas apenas com 2 categorias: “filmes inéditos” e “redes sociais”. Os filmes inéditos 

concorreram ao prêmio oficial e ao de júri popular. A categoria "redes sociais", recebeu uma menção honrosa oficial.

 

Como tradicionalmente, o festival recebeu filmes com duração entre 30 segundos e 3 minutos, mas apenas com 2 categorias:  a de “filmes inéditos” e a de “redes sociais”. Os filmes inéditos concorreram ao prêmio oficial e ao de júri popular. A categoria "redes sociais" foi contemplada com  uma menção honrosa, pelo júri oficial.

Melhor Filme: Isolation, de Clério Back - Guarapuava-PR

Melhor Filme para Redes Socais: Lockdown, de Gabriela Bagrichevsky Callado

 

Melhor Filme eleito pelo Júri Popular: Lockdown, de Gabriela Bagrichevsky Callado

WORKSHOP CELUCINE-2.jpeg
PAINEL 2010 Edit Fina#2615A-1.jpeg
15027923_1162313277137625_34026388679931
22686_450779028291057_193734618_n.jpg
15032922_1164033033632316_38282087236337
15037093_1168967259805560_71688488101955
14581534_1150838521618434_10267738559791
15591604_1203765519659067_72610479308007
15591368_1203766856325600_13481395548221
14333809_1111154735586813_41457213414587
65711032_2270242123011396_14100626010726